dicas

Mitos sobre uma alimentação saudável

Mitos sobre uma alimentação saudável

Alimentação saudável é um assunto que sempre está em alta seja em uma conversa entre amigos ou em programas de televisão e revistas. Todos querem mais bem estar e saúde e com isso, as promessas com apelo “saudável” vêm sendo cada vez mais valorizadas. No entanto, o excesso de informações deixa as pessoas confusas sobre o que realmente é saudável. Quem nunca ouviu falar em “Glúten e lactose engordam” ou promessas imediatistas como “Exagerei no feriado, vou fazer dieta detox da segunda!”. Mas será que isso é realmente saudável?

Saiba um pouco mais sobre 3 temas polêmicos:

                Detox: Muito tem se falado sobre o aumento dos níveis de toxinas no corpo devido o excesso de estresse, poluição junto a uma nutrição mal balanceada. Com isso, surgiu o conhecido “detox”, promovendo com o consumo de vegetais e frutas em forma de sucos ou outros produtos como forma de ajudar o organismo a se livrar dessas substâncias. No entanto, há pouco consenso científico sobre essa prática, pois no nosso corpo, órgãos como o fígado, rins e intestino já realizam a eliminação das toxinas.

                Glúten/ Lactose free: O glúten é uma proteína que confere maciez a pães e massas feitos com trigo, centeio, cevada e aveia. A alimentação sem glúten é indicada após o diagnóstico de doença celíaca, uma doença em que o corpo reconhece o glúten como um agressor, causando danos à saúde. Tem se discutido sobre a sensibilidade não celíaca ao glúten, um tipo de condição que leva a pessoa a sentir sintomas semelhantes à doença célica, mas sem comprovação por exames, podendo também ser um motivo para a restrição. 

                Já a lactose é um tipo de açúcar encontrado no leite e derivados como o queijo e iogurte. Ela é digerida por uma enzima chamada “lactase”, mas, algumas pessoas possuem dificuldade de produzir essa enzima e apresentam intolerância à lactose.

                Para aqueles que não se encaixam nessas condições não é necessário à retirada de produtos que contém glúten ou lactose.

                Importante lembrar: Produtos sem glúten nem sempre são mais saudáveis, alguns possuem altos teores de gordura e açúcar, além de baixos teores fibras, é importante ficar atento ao rótulo!  Para os intolerantes a lactose, existem diversos produtos sem lactose no mercado ou o uso da própria enzima lactase quando houver o consumo de alimentos com lactose.

                Comer de 3 em 3 horas: Uma regrinha básica emagrecer é comer várias refeições por dia, pois dessa maneira há um controle maior da fome e o metabolismo fica mais acelerado. Mas será que isso é verdade?

                De fato, algumas pessoas ao aumentarem o fracionamento das refeições sentem uma diminuição da fome na próxima refeição. Mas essa conduta não é obrigatória e válida para todos. É necessário analisar caso-a-caso e concluir o que melhor funciona com você.

                Procure sempre orientação do seu nutricionista para entender o que é mais indicado para você!

 

Referências

KLEIN, A. V. , KIAT, H. Detox diets for toxin elimination and weight management: a critical review of the evidence. Journal of Human Nutrition and Dietetics, v. 28, n. 6, p. 675-686, 2014.

PROENÇA, R. P. C. Alimentação e globalização: algumas reflexões. Ciência e Cultura, v. 62, n. 4, p. 43-47, 2010.

 

REILLY, N. R. The Gluten-Free Diet: Recognizing Fact, Fiction, and Fad. The journal of pediatrics, v. 24, n. 4, p. 213-217, 2015.

RAYNOR, H. A. et al Eating Frequency, Food Intake, and Weight: A Systematic Review of Human and Animal Experimental Studies. Frontiers in nutrition, v. 2, n. 38, p. 1-19, 2015.

BAPTISTA, T. J. R. A obesidade e a indústria do emagrecimento. Comciência, n. 145, p. 1-4, 2013. 

videos